Até sempre Tarcísio Meira

O ACTOR brasileiro Tarcísio Meira morreu esta quinta-feira no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, Brasil, aos 85 anos, vítima de covid-19. Ícone da dramaturgia e um dos maiores galãs da história do Brasil, ele estava internado na UTI do Albert Einstein. Ator e sua esposa, a atriz Glória Menezes, de 86 anos, deram entrada no hospital em 6 de agosto.

O artista chegou a ser intubado na UTI e a fazer hemodiálise contínua. De acordo com boletim médico divulgado na tarde desta quinta, a atriz deve ter alta em breve.

Tarcísio Meira, é um dos personagens sobejamente conhecido entre o público moçambicano, aonde chegou através de várias telenovelas da TV Globo, Tarcísio deixa uma infinidade de obras que marcaram gerações e gerações de amantes das novelas, do cinema em português, e influenciou vários jovens de Moçambique, do Brasil e do mundo.

Era um dos mais populares actores brasileiros, nos palcos, nas novelas televisivas e no cinema, onde teve papéis de relevo em filmes como A Idade da Terra (1980), de Glauber Rocha, ou O Beijo no Asfalto, de Bruno Barreto, ambos de 1980.

Tarcísio Meira era casado com a actriz Glória Menezes, que também foi infectada pelo coronavírus e continua internada no hospital paulista, onde deu entrada com o marido no passado dia 6 de Agosto. Ambos tinham recebido a segunda dose da vacina em Abril e estavam desde então retirados na quinta da família em Porto Feliz, no interior do estado de São Paulo. Foi um dos mais populares actores brasileiros, com uma extensa carreira no teatro, na televisão e no cinema.

A família anunciou a morte numa nota divulgada nas redes sociais: “Comunicamos o falecimento do nosso querido Tarcísio Meira, nosso eterno João Coragem, que lutou bravamente contra essa terrível doença. Agradecemos a todos pelas orações e por ter-nos acompanhado esse tempo todo, estamos arrasados”, diz a publicação. João Coragem é a personagem que o actor interpreta na novela Irmãos Coragem, da TV Globo, na qual contracena com a sua mulher. Exibida em 1970 e 1971, esta história de um jovem garimpeiro lutando contra a opressão deu a Tarcísio Meira um dos seus papéis mais conhecidos.

Nascido em São Paulo em 1935, filho de um dentista que descendia de uma família da aristocracia rural de Minas Gerais, ainda terá ponderado uma carreira na diplomacia, mas nos anos 50 estava já a iniciar-se no teatro amador, e em 1959 estreou-se, já como profissional, na peça O Soldado Tanaka, encenada por Sérgio Cardoso a partir do texto de Georg Kaiser.

Chegou nesse mesmo ano à televisão, participando numa adaptação de Noites Brancas, de Dostoievski, na TV Tupi. E em 1961 protagonizou outra peça de teleteatro, Uma Pires Camargo, onde contracenou pela primeira vez com Glória Menezes, a quem já vinha fazendo a corte, segundo ele próprio contará, e com quem se casou em 1962. Pais do actor Tarcísio Filho, que nasceu em 1964, Tarcísio Meira e Glória Menezes fariam para o ano 60 anos de casados.

Embora tenha continuado a fazer teatro e viesse a integrar o elenco de alguns importantes filmes brasileiros, é sobretudo à televisão, e aos seus muitos papéis de galã que o actor deve a sua popularidade. A já referida Irmãos Coragem, mas também as telenovelas Cavalo de Aço (1973), O Semideus (1973) e Guerra dos Sexos (1983), que também passou em Portugal, ou a minissérie Desejo (1990), na qual interpreta o escritor Euclides da Cunha, autor de Os Sertões, são alguns dos seus mais de 50 trabalhos para televisão.

O actor manteve uma presença regular nas telenovelas da TV Globo ao longo das últimas três décadas, tendo terminado esse capítulo da sua extensa carreira com uma participação especial, em 2018, na novela Orgulho e Paixão, uma adaptação livre de vários romances de Jane Austen, de que teve de desistir por causa de um problema pulmonar.

É sobretudo no final dos anos 70 e na década seguinte que se concentram os seus principais papéis no cinema. No obituário do actor, o jornal Folha de São Paulo destaca as suas interpretações no já referido A Idade da Terra, o último filme de Glauber Rocha, e em dois filmes de Walter Hugo Khouri: Amor Estranho Amor (1982) e Eu (1987).

Em 1979, protagonizara já República dos Assassinos, de Miguel Faria Jr., interpretando um polícia violento e corrupto, Mateus Romeiro, num filme que evoca os homicídios do chamado Esquadrão da Morte durante a ditadura militar brasileira.

Outro papel muito comentado, sobretudo pela cena em que beija na boca o actor Ney Latorraca, foi o de Aprígio em O Beijo no Asfalto, de Bruno Barreto, uma adaptação da peça homónima de Nelson Rodrigues.

A sua despedida como actor foi um regresso ao teatro para protagonizar em 2019 uma reencenação de O Camareiro, de Ronald Harwood, que já interpretara em 2015. Aos 83 anos, Tarcísio Meira voltava assim a vestir a pele de um actor de teatro envelhecido e com dificuldades em recordar as falas que tenta, no limite das suas forças, interpretar mais uma vez o Rei Lear, de Shakespeare. (Com o público.pt/ Noticias/ Zebra)

English EN Portuguese PT
× Como podemos ajudar?