Graça Machel e Dalila Cassy vencem prémios internacionais

A activista social Graça Machel e a investigadora do Instituto Nacional de Saúde, Dalila Cassy, venceram esta semana prémios internacionais. Graça Machel recebeu o primeiro prémio do Instituto de Iniciativa de Investimento Futuro para a Humanidade, lançado durante o 5º Aniversário da Iniciativa de Investimento para o Futuro (FII), que está a decorrer sob o tema “Investir na Humanidade”.

Já a jovem Dalila Cassy, foi distinguida com o prémio Professor Doutor Cruz Ferreira, pela Comissão de Prémios de Mérito Escolar e Científico do Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT), em Lisboa.

O prémio atribuído a Graça Machel resulta do reconhecimento do seu papel na defesa dos direitos das mulheres e das crianças a nível internacional. A antiga Primeira-Dama de Moçambique e Presidente da The Graça Machel Trust é também co-fundadora e vice-presidente do The Elders, um grupo independente de líderes globais que trabalham em conjunto pela paz, justiça e direitos humanos.

No evento, que reúne líderes mundiais, peritos, inovadores e meios de comunicação social numa plataforma global para explorar soluções pioneiras que abordem os desafios da sociedade para ter um impacto substancial na humanidade, Graça Machel fez os comentários de abertura e uma entrevista ao vivo com a Princesa Reema Bint Bandar Al-Saud, embaixadora da Arábia Saudita nos Estados Unidos sobre a importância de investir na humanidade.

Além de Graça Machel, foi galardoada a cantora humanitária Gloria Gaynor, em reconhecimento da sua carreira distinta e empenho exemplar no progresso dos impactos positivos na humanidade.

“Queremos celebrar as suas contribuições e esforços ao longo da vida em áreas como a promoção dos direitos das mulheres e das crianças, educação, desenvolvimento, bem como arte e cultura. O prémio do FII Institute for Humanity está a estabelecer novos padrões para servir as pessoas em todo o mundo”, disse Richard Attias, O CEO do FII Institute.

O Prémio FII Institute for Humanity reflecte a agenda “Impact on Humanity” do Instituto e como fazer um futuro mais brilhante, mais sustentável para a humanidade.

O FII Institute é uma fundação global sem fins lucrativos com um braço de investimento que ajuda a transformar boas ideias em acções, permitindo as mentes mais brilhantes e transformando as ideias em soluções do mundo real em cinco áreas de foco na Inteligência Artificial, Robótica, Educação, Cuidados de Saúde e Sustentabilidade.

Graça Machel, Bacharel em Filologia da Língua Alemã pela Universidade de Lisboa, é fundadora e presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade (FDC); fundadora do Instituto para o Desenvolvimento da Criança (Zizile IDC), orientado para o desenvolvimento da primeira infância, e fundadora do Instituto Mandela para Estudos de Desenvolvimento (MINDS).
A viúva de Samora Machel, primeiro Presidente de Moçambique independente e de Nelson Mandela, também primeiro Presidente da África do Sul independente do regime do apartheid. Graça Machel foi Ministra da Educação e Cultura de Moçambique (1975-1989). Em 1994, foi nomeada pelo então Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas, Boutros Boutros-Ghali, para o Estudo do Impacto dos Conflitos Armados sobre as Crianças e foi Presidente da Comissão Nacional da UNESCO em Moçambique, por três décadas.
Como reconhecimento do seu trabalho, em especial no âmbito da advocacia dos direitos da criança e da mulher e promoção do desenvolvimento de base comunitária, recebeu vários prémios internacionais, com destaque para: Prémio Africano de Liderança no Combate à Fome (1992); Medalha Nansen, pelo seu contributo para o bem-estar de crianças refugiadas (1995); Prémio de Cidadã do Mundo (1997); e Prémio Norte-Sul do Conselho da Europa.

 Dalila Annette Rodrigues Cassy

Entretanto, de acordo com um comunicado do IHMT, a referida distinção é resultado do facto de Annette Cassy se ter destacado como melhor aluna de Doutoramento em Medicina Tropical naquela instituição.

A Annette Cassy concluiu o curso em Maio de 2020, com a tese de doutoramento intitulada “Abordagens e desafios para o controlo da malária em Moçambique”.

A cerimónia de entrega dos prémios vai ter lugar no dia 5 de Novembro próximo, na Sala da Aula Magna daquele instituto, pelas 14 horas, na ocasião da abertura solene do Ano Lectivo 2021-2022, em Lisboa, Portugal.

De referir que a premiada é médica de clínica geral e desde o ano 2019 exerce o cargo de Chefe de Departamento Central de Observação em Saúde no INS.

O INS é uma instituição técnico-científica pública, sendo a entidade de gestão, regulamentação e fiscalização das actividades relacionadas com a geração de evidência científica em saúde para a garantia de uma melhor saúde e bem-estar em Moçambique.

Ao longo de várias décadas de contínua estruturação e aprimoramento, o INS tem executado uma diversidade de programas técnico-científicos visando informar as políticas públicas de saúde. O INS, da mesma forma que institutos nacionais de saúde pública em outros países, é uma instituição de base científica que catalisa esforços para atingir melhorias substanciais e de longo-prazo na saúde pública a nível local, nacional e global.

O INS actua a partir de quatro vertentes técnico-científicas sinérgicas, nomeadamente Pesquisa em Saúde e Bem-Estar; Laboratórios de Saúde Pública; Inquéritos e Observação em Saúde; e Formação e Comunicação em Saúde Pública.

Os profissionais do INS participam na descoberta e no entendimento dos problemas de saúde pública através de acções de investigação científica, referenciamento laboratorial, testagem diagnóstica especializada, inquéritos de saúde, vigilância em saúde e observação. A informação técnico-científica gerada por estes processos é disseminada e colocada ao serviço da sociedade através de acções especializadas de formação e comunicação.

English EN Portuguese PT
× Como podemos ajudar?