HCB: Conjuntivite contamina 230 profissionais da saúde

Horácio João

Pelo menos 230 profissionais do Serviço Nacional de Saúde afectos no Hospital Central da Beira, província de Sofala, foram infectados pela conjuntivite hemorrágica cujo índice de propagação condiciona o atendimento no Serviço de Oftalmologia.

De acordo com a directora-clínica daquela maior unidade sanitária da zona centro do país, Ana Tambo, a doença alcançou, por conseguinte, níveis bastantes preocupantes, com três casos graves que resultaram no internamento dos respectivos doentes que, entretanto, não correm o perigo de vida.

A clínica, indicou que a automedicação e mitos no recurso à urina ou plantas medicinais é a principal causa da gravidade desta doença que, conforme descreveu, pode ser curada sem uso de medicamentos.

Desde o dia 28 de Fevereiro deste ano, altura em que foi registado o primeiro caso, o Hospital Central da Beira notificou mais de 2800 casos deste tipo de enfermidade.

Para isso, as autoridades sanitárias apelam a comunidade no sentido de observar escrupulosamente todas as medidas de prevenção, através da higiene individual, sobretudo a lavagem frequente da cara com água e sabão.

A fonte sustenta ainda que o número de pacientes que buscam pelo tratamento neste hospital tende a crescer, sendo que com a contaminação de cerca de 230 profissionais de saúde, o número do efectivo para o atendimento reduziu, com especial enfoque no sector da oftalmologia, o que coloca em causa a prestação dos serviços.

Sete províncias do país enfrentam o surto de conjuntivite hemorrágica com cerca de.17 mil pessoas contaminadas. Maior destaque vai para o Estabelecimento Penitenciário do Norte, em Nampula, seguido da província de Sofala e Cadeia Central do Maputo, com mais de três mil casos cumulativos.

 

English EN Portuguese PT
× Como podemos ajudar?