PROJECTOS DE GÁS E ENERGIA DE TEMANE: Filipe Nyusi destaca inclusão de moçambicanos nas cadeias de funcionamento

O Presidente da República, Filipe Nyusi, destaca a importância da inclusão dos moçambicanos nas cadeias de funcionamento e fornecimento de bens e serviços aos projectos de gás e energia de Temane, na província de Inhambane, promovendo o conteúdo local.

Filipe Nyusi falava ontem (31 de Maio), em Maputo, na assinatura de acordos de viabilização dos projectos de gás e energia de Temane, orçados em 760 milhões de dólares.
Nyusi realçou a aposta na formação e no aumento de qualificações profissionais dos quadros nacionais para a ocupações de posições mais altas de gestão e supervisão nos projectos.
“Neste sentido, aguardamos que os centros de treinamento de Inhassoro, que foi lançado durante a nossa visita em 2015, seja concluído e que o programa de bolsas de estudo de engenharia e o programa de estágios da SASOL continuem durante a vinda dos empreendimentos, pois o investimento do capital humano é um dos pilares fundamentais da nossa governação”, disse.

Os novos projectos de gás e energia, com recurso às reservas de hidrocarbonetos de Temane, em Inhambane, marcam uma nova era na geração de electricidade em Moçambique, facto que vai aumentar a disponibilidade e reforçar a capacidade de fornecimento deste recurso no país e na região.

Os acordos rubricados totalizam 1.770 milhões de dólares norte-americanos e que resultam da decisão final de investimento anunciada em Fevereiro deste ano pela empresa petroquímica SASOL. Os acordos vão permitir a viabilização da construção da Central Térmica de Ciclo Combinado de Temane, da linha de transporte Temane-Maputo e de uma unidade de processamento de petróleo leve e de GPL, popularmente conhecido como gás de cozinha.

A central térmica e a linha de transporte irão, igualmente, garantir disponibilidade energia no âmbito da iniciativa “Energia para Todos”, que visa ao acesso universal deste recurso a todos os moçambicanos até 2030.

O Presidente da República, afirmou tratar-se do maior empreendimento de produção de energia no período pós-independência a ser construído no país e que representa, por isso, um marco importante na transformação de Moçambique como pólo regional de produção de energia.

“Hoje marcamos uma nova etapa no quadro desta empreitada de iluminar Moçambique. A construção de infra-estruturas de energia que contemplam a geração de energia, através da Central Térmica de Temane, irá aumentar a disponibilidade e oferta de electricidade e, consequentemente, beneficiar a actividade agrícola, industrial, turística, entre outras”, disse.

Na ocasião, o Chefe do Estado realçou que o objectivo final do Governo é industrializar o país e substituir as importações de gás de cozinha, reduzir o défice externo e propiciar melhor o ecossistema, através da substituição da lenha e carvão vegetal.

O projecto da Central Térmica de Temane integra a construção de uma linha de transmissão a 400kV, ligando Temane e Maputo, numa extensão de cerca de 650 quilómetros.

O Banco Mundial, Reino da Noruega, Banco Africano de Desenvolvimento, Banco Islâmico de Desenvolvimento, IFC e OFID ajudaram a viabilizar a iniciativa do Governo moçambicano, garantindo financiamentos que asseguram o arranque da construção das infra-estruturas no segundo semestre do corrente ano.

 

English EN Portuguese PT
× Como podemos ajudar?