A amamentação é a primeira vacina de um bebé

O Fundo das Nações Unidas para Criança (UNICEF), aconselha para o alimento materno, pois,  proporciona às crianças o melhor começo de vida. É a melhor fonte de nutrição para o bebé, reforçando o desenvolvimento do cérebro com benefícios para toda a vida e para o bebé.

Por ocasião da Semana Mundial do Aleitamento Materno que é comemorada a nível mundial de 01 a 07 de Agosto e ao nível nacional durante o mês de Agosto, sob o lema “Proteger a amamentação, uma responsabilidade de todos”, o Unicef divulgou hoje um comunicado de imprensa, no qual assegura que a amamentação actua como a primeira vacina de um bebé, proporcionando uma protecção crítica contra doenças e morte.

Para esta Agência, o início precoce da amamentação (na primeira hora de nascimento), a amamentação exclusiva (entre 0-6 meses) e a amamentação contínua (6-23 meses) oferecem uma poderosa linha de defesa contra todas as formas de desnutrição infantil, incluindo o desperdício.

O aleitamento materno salva vidas e protege as crianças de infecções mortais. As crianças que não são total ou parcialmente amamentadas têm um maior risco de diarreia e são mais propensas a morrer, particularmente em países de baixo rendimento. Se as mães fossem apoiadas a amamentar, quase 50% dos episódios de diarreia e um terço das infecções respiratórias seriam evitados.

O aleitamento materno é singularmente a intervenção de saúde pública mais eficaz.” Temos de dar a todas as crianças em todo o lado o melhor começo de vida. É um direito humano das mães e dos seus bebés, e deve ser protegido e promovido”, exorta um comunicado do Unicef enviado à redacção da Zebra.

Segundo o Unicef, a melhoria das taxas e práticas de aleitamento materno requer acção por parte de múltiplos actores, incluindo o governo, as unidades sanitárias, os profissionais de saúde e as  empresas.

Regresso ao trabalho é a barreira para amamentar os bebés

O Governo, os doadores, a sociedade civil e o sector privado têm todos uma oportunidade de acelerar e fazer investimentos inteligentes e compromissos para enfrentar a crise global de desnutrição.

Para Unicef, a Cimeira das Nações Unidas sobre Sistemas Alimentares em Setembro e a Cimeira Nutrição para o Crescimento em Dezembro de 2021, devem também demonstrar acção, assumindo compromissos tangíveis no sentido de uma promoção e apoio total e eficaz do aleitamento materno, em particular:

Acrescenta no seu comunicado que o governo deve implementar integralmente o Código Nacional de Comercialização de Substitutos do Leite Materno através de fortes medidas legais que sejam aplicadas e monitorizadas de forma independente o cumprimento pelos profissionais de saúde e das unidas sanitárias.

Por outro lado, as empresas e os empregadores devem implementar políticas favoráveis à família que apoiem as mães com tempo, espaço e apoio ao aleitamento materno, incluindo a concessão de pelo menos 18 semanas de licença de maternidade remunerada, pois, para muitas mães, o regresso ao trabalho é uma barreira para amamentar os seus bebés e fornecer a melhor nutrição possível.

Segundo Unicef, os doadores devem aumentar o financiamento para reforçar a protecção, promoção e apoio a programas de aleitamento materno, intervenções de aconselhamento e para implementar plenamente o Código Nacional de Comercialização de Substitutos do Leite Materno.

A cerimónia central de lançamento da semana Mundial do Aleitamento Materno terá lugar na Sexta-feira, 06 de Agosto, no Distrito de Matutuíne, Província de Maputo, com a participação da esposa do presidente da República, Isaura Nyusi.

English EN Portuguese PT
× Como podemos ajudar?