Leilão de amor angaria 178 mi meticais para Casa do Gaiato

o Embaixador de Itália, Gianni Bardini, visitou na última sexta-feira, a Casa do Gaiato e efectuou a entrega de 178 mil meticais, valor angariado no “Leilão de amor” que teve lugar no dia 9 de Fevereiro, no Clube Naval, na Cidade de Maputo.

“Não tenho palavras para agradecer este gesto tão carinhoso”, afirmou, a irmã Quitéria que recebeu o valor. O Leilão foi marcado por um desfile de modelos do “Leilão de amor” constituído por cooperantes italianos e meninos da Casa do Gaiato, que desfilaram trajados com fatos e vestidos, doados pelo Centergross.

O evento contou com a participação extraordinária dos bailarinos da Academia de Dança de Roma. “Foi um dia especial, embora marcado, por chuva que afectou o distrito de Boane, onde se localiza a Casa do Gaiato”, disse a Irmã Quitéria Paciência, acrescentando que a casa fez todos os possíveis para que os meninos pudessem chegar a cidade de Maputo e participarem ao evento.

Quitéria Paciência disse ao Embaixador de Itália que o “Leilão de amor” foi uma experiência muito boa para os rapazes da Casa do Gaiato: “As exigências de pontualidade, os ensaios, o contacto com outra realidade, a gentileza e o profissionalismo da organização, foram momentos educativos de grande valor”.

Entre os cantos dos meninos da Casa do Gaiato, com o sentimento de pertença e de família que lá se respira, Gianni Bardini enalteceu a obra desta instituição considerada “uma referência e um exemplo para Moçambique”.

A irmã Quitéria fez questão de realçar a grande amizade de muitos italianos que, todos os dias, contribuem, em várias formas, no bem-estar dos meninos que ai vivem, e recordou como, em 1991 quando o padre Zé Maria regressou a Moçambique para a construção da actual Casa do Gaiato, foi a cooperação italiana que desde a primeira hora deu o seu apoio com as conduta da água e outros trabalhos.

A instituição tem capacidade para acolher 150 crianças às quais lhes é proporcionada uma formação humana, académica, e profissional de acordo com a idade e a aptidão de cada um.

A vida da Casa do Gaiato depende de projectos, doações e actividades de autossustentabilidade, nas quais os próprios rapazes participam, num sistema de autoaprendizagem, com o acompanhamento dos mestres e dos rapazes mais velhos, já inseridos no mundo do trabalho.

Além disso, ela é um ponto de referência para as comunidades que vivem em redor. Em Novembro de 2022, a Casa do Gaiato sofreu um incêndio que mobilizou uma onda de solidariedade na sociedade civil moçambicana.

English EN Portuguese PT
× Como podemos ajudar?