Três anos depois, Real Madrid ainda não encontrou um substituto de CR7

Foi a 10 de julho de 2018 que Cristiano Ronaldo encerrou uma ligação de nove anos e muito sucesso no Real Madrid. Nesse dia, o emblema espanhol e a Juventus anunciavam um negócio de 117 milhões de euros que levou CR7 para Turim, onde ainda se mantém.

Este sábado, o AS dá destaque à efeméride, lembrando o ‘buraco’ que Cristiano Ronaldo deixou no Santiago Bernabéu. O português tornou-se numa lenda do clube depois de 450 golos em 438 jogos e muitos títulos coletivos e deixou um legado que, para lá de pesadíssimo, ainda ninguém conseguiu ‘tapar’.

Desde então, Florentino Pérez colocou muitas fichas em Eden Hazard, tendo pago 100 milhões de euros ao Chelsea para contratar o extremo belga. Até ver, a passagem de Hazard por Madrid tem sido recheada de lesões e um verdadeiro flop, como mostram os 5 golos e 8 assistências em 43 jogos nos madrilenos.

O mesmo se pode dizer do sérvio Luka Jovic, contratado por 60 milhões de euros ao Eintracht Frankfurt mas, até agora, muito longe de corresponder a essa expectativa. Quem tem aproveitado da melhor forma a ausência de Cristiano Ronaldo é mesmo Karim Benzema: o avançado francês ganhou ainda mais destaque no ataque do Real e desde a saída do português já apontou 87 golos.

Para, enfim, fazer esquecer CR7, Florentino Pérez tem os dois alvos definidos há muito: Kylian Mbappé (Paris Saint-Germain) e Erling Haaland (Borussia Dortmund) são os desejados mas os exorbitantes montantes pedido pelos dois clubes são um grande entrave aos negócios.

A BOLA

English EN Portuguese PT
× Como podemos ajudar?