Donald Trump enterra a mulher no campo de golfe livre para escapar livrar-se de impostos

O código tributário de Nova Jérsia, Estados Unidos da América, isenta a terra de cemitérios de todos os impostos, taxas e avaliações – incluindo impostos imobiliários, mas também sobre propriedade pessoal, sobre vendas, de rendimento ou sobre heranças.

Ivana Trump, primeira mulher do ex-presidente norte-americano Donald Trump, foi enterrada junto ao primeiro buraco do campo de golfe do ex-marido em Bedminster, no estado de Nova Jérsia. Uma escolha que poderá permitir ao fundo da família Trump, proprietário do espaço, ficar isento de uma série de impostos.

Documentos fiscais do Fundo da Família Trump publicados pela ProPublica, organização sem fins lucrativos de jornalismo de investigação, mostram a tentativa de designar uma propriedade em Hackettstown (a 32 km de Bedminster), como um cemitério.

O código tributário de Nova Jérsia isenta a terra de cemitérios de todos os impostos, taxas e avaliações – incluindo impostos imobiliários, mas também sobre propriedade pessoal, sobre vendas, de rendimento ou sobre heranças. Desta forma, a sepultura de Ivana poderá ser vantajosa para Trump, num estado onde os impostos sobre propriedades e terras são notoriamente elevados.

Ivana Trump morreu a 14 de julho, aos 73 anos, depois de sofrer uma queda em casa, em Nova Iorque. Casada com Trump entre 1977 e 1992, é mãe de três dos seus filhos: Donald Jr., Ivanka e Eric. Terá sido a primeira pessoa sepultada no campo de golfe, onde a família passa grande parte dos seus verões. A campa está assinalada com uma coroa de flores brancas e uma pedra de granito com uma gravação.

Segundo um artigo na Business Insider, há muito que o ex-presidente planeia construir um cemitério junto ao campo de golfe. Em 2012, a rádio pública norte-americana NPR revelou que Trump queria construir um mausoléu de quase seis metros de altura para si próprio no local – apesar de já ter alegadamente um talhão num cemitério em Queens, junto à mãe e ao pai. Mais tarde, a proposta foi alterada e já incluía a criação de um cemitério com mais de mil campas.

Já em 2017, o The Washington Post indicava que a ideia era então ter um cemitério privado para a família, com dez campas, que se transformaram em quase 300 campas que estariam disponíveis para venda.

Entretanto, o ex-presidente voltou a Washington, nos finais de Julho, 18 meses após ter deixado a Casa Branca, com intencoes de lançar a candidatura para recuperar a narrativa face às revelações sobre a invasão do Capitólio.

“Sempre disse que concorri na primeira vez e ganhei e concorri uma segunda vez e fiz ainda muito melhor”, disse Trump num discurso de 90 minutos para os seus apoiantes do America First Policy Institute. “Podemos ter que o fazer novamente. Temos que endireitar o nosso país”, acrescentou, prometendo mais detalhes nas próximas semanas ou meses. Vários media norte-americanos já indicaram que ele estará a preparar a sua candidatura às presidenciais de 2024.

O Washington Post e o New York Times já revelaram que o Departamento de Justiça estará a focar a sua investigação no ex-presidente, procurando entender o seu envolvimento nos esforços para reverter os resultados eleitorais – depois das críticas de que nada foi feito durante um ano. Os registos telefónicos de membros da antiga administração já estarão a ser estudados desde abril, tendo havido também um apelo às testemunhas. O procurador-geral, Merrick Garland, não excluiu poder vir a acusar Trump, numa entrevista à NBC News.

English EN Portuguese PT
× Como podemos ajudar?