Ludmila Maguni e outros quatro técnicos apontados como potenciais candidatos a director-geral do STAE

A apresentação das candidaturas para o preenchimento da vaga termina esta sexta-feira (12 de Agosto).

Constitui vantagens para ocupar o cargo, estar enquadrado na carreira de especialista; conhecimento de informática na optica de utilizador; conhecimento sobre logística eleitoral; gestão de conflitos eleitorais; influente na fala e escrita da língua inglesa; experiência em observação eleitoral; experiência na coordenação de mecanismos de consulta entre os órgãos eleitorais, Governo e parceiros de cooperação.

Outros possíveis potenciais candidatos citados pelo Canal de Moçambique na edicção de hoje, são os directores provinciais do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE), de Gaza, Mário Cossane; de Nampula, Príncipe Lino Uataia; de Manica, Luciano José e de Cabo Delgado, Cassamo Camal.

Ludmila Maguni, que ocupa neste momento o cargo de Secretária de Estado na província de Inhambane, foi chefe da equipa de complicação e harmonização das listas finais das candidaturas para as eleições gerais de 15 de Outubro de 2019.

São requisitos para o cargo de Director-geral do STAE, ser funcionário público de nomeação definitiva, com 10 ou mais anos de serviço; estar enquadrado na carreira de técnico superior de N1; ter trabalhado no órgãos eleitorais, por pelo menos cinco anos de serviço; ter exercido funções de direcção e chefia, por, pelo menos cinco anos.

Também deve ter formação superior nas áreas de tecnologia de informação; estatística; economia; gestão; administração pública; direito; relações internacionais ou áreas correlatas.

English EN Portuguese PT
× Como podemos ajudar?